CIMBAL

AGENDA

Serpa

  • Porta de Beja - Serpa

Serpa, terra fronteiriça de conflitos frequentes, era, às vésperas da "Reconquista", um povoado fortificado importante, dominando férteis terras de cultivo. A velha muralha, implantada no cume de uma pequena elevação, delimitava uma área com cerca de 21000 m2. Nos finais do século XIII, D. Dinis, num esforço de reorganização cristã do Alentejo, refunda a vila muçulmana e manda construir de raiz o alcácer e uma imponente Cerca urbana com 65000 m2.

Património Monumental

 

O rio Guadiana e ribeiras afluentes constituem uma área privilegiada em endemismos e comunidades biológicas interessantes.
Entre os valores naturais deste sítio, estritamente ligados aos cursos de água, distinguem-se unidades florísticas peculiares e únicas, como é o caso da vegetação ribeirinha de cursos de água mediterrânicos intermitentes.

Património Natural

 

O inventário do património arqueológico do concelho de Serpa, realizado em 1997 pelo Instituto de Arqueologia da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, no âmbito de um protocolo com a autarquia, dá conta da existência de mais de três centenas de sítios arqueológicos repartidos por um longo período, desde a Pré-história à época Medieval/Moderna. O número de referências inéditas (74,5%) torna bem claro o avanço do conhecimento sobre a arqueologia do concelho que este trabalho aporta.

Património Arqueológico

Iniciativas

Diário do AlentejoMuseu Regional de BejaITI CIMBALSistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego (SI2E)Apoios e IncentivosProminent MED